Um mundo seguro hoje e no futuro
Português

"2020" é uma história sobre o futuro próximo baseado em um relatório da ICSPA chamado de Projeto 2020. Este projeto tem a forma de uma websérie fictícia apresentando a evolução da sociedade e da tecnologia no mundo descrito pelo relatório. Mostraremos como o avanço da tecnologia móvel e em nuvem terão influenciado a forma como interagimos uns com os outros e com o mundo, como trabalhamos e como percebemos a realidade.

A série consiste de 9 episódios de aproximadamente 4 minutos cada um. Os episódios começam com uma pequena introdução no estilo de documentário sobre um evento que já aconteceu. A maior parte de cada episódio traz uma narrativa cinematográfica contemporânea de eventos conforme aconteceram.

A história se passa em um país fictício da Europa Central, a República de Silvânia do Sul. Tecnologicamente, é o país mais avançado da região, abriga a melhor Universidade de Design Digital do mundo, é o número 1 em pesquisa de nanotecnologia e o centro das principais linhas de fibra ótica que cruzam o continente.

Todos os cidadãos utilizam múltiplos perfis em sua vida cotidiana. Seu perfil oficial, que substitui o cartão de identidade, permite pagar taxas, solicitar benefícios e pagar multas de estacionamento ou quaisquer outras atividades que exijam uma identificação oficial. Outros perfis são usados dependendo da atividade ou estado de espírito do indivíduo. Um perfil pode ser usado para interações sociais, um para compras, um para jogos, um para a família e amigos e um, ou mais, para várias transações financeiras.

Como o consumidor de Silvânia do Sul adotou totalmente o mundo digital, quase toda a publicidade e marketing agora são entregues através de canais digitais e sob medida para o interesse individual graças à indústria dos Provedores de Serviço de Conteúdo. A publicidade fixa, tal como cartazes, é coisa do passado. Os cidadãos de Silvânia do Sul vivem através do filtro dos Provedores de Serviço de Conteúdo: tudo é criado para cada potencial consumidor, individualmente, no mundo da realidade aumentada. Um hub centralizado e altamente seguro, mais conhecido como Switch, garante que quando um perfil é mudado, todos os indivíduos fornecem o nível certo de autenticação biométrica para fazer valer seu direito de assumir uma de suas identidades digitais.

Todos usam lentes de contato ou óculos HUD (Head-Up Display), com uma sobreposição digital sobre o mundo real à sua volta. O conceito de estar "offline" se tornou um anátema em Silvânia do Sul. O conteúdo digital é modificado e criado para todos os indivíduos baseado em preferências e estados de espírito pessoais, que são constantemente coletadas por milhares de sensores, incorporados em tecnologia de vestuário, através dos Provedores de Serviço da Internet e do mundo físico.

Conhecemos nossos heróis em um dia auspicioso, no dia anterior em que as primeiras eleições parlamentares nacionais totalmente digitais deveriam acontecer, facilitadas é claro pela tecnologia da Switch, uma iniciativa Pública/Privada. Para votar, uma pessoa deve estar utilizando seu perfil oficial. Sem aviso e sem nenhuma causa aparente, todo o sistema Switch sofre uma avaria, produzindo um caos nacional. As pessoas não podem mudar o perfil que estão usando para nenhum outro: cirurgiões não têm permissão para entrar na sala de cirurgia porque não puderam apresentar suas credenciais oficiais, cidadãos não podem adquirir medicamentos, funcionários não podem mais acessar remotamente suas instalações corporativas e o sistema financeiro parou. Ao mesmo tempo, o país sofre uma onda maciça de ataques de Negação de Serviço com o objetivo de paralisar a infraestrutura nacional crítica. As vítimas estão crescendo. As autoridades estão tentando desesperadamente descobrir o que está acontecendo e, principalmente, quem está por trás disso.

A República de Silvânia do Sul é um mercado emergente de renda média com um suprimento abundante de recursos, inclusive elementos naturais. Antes do colapso de 2007-8, desfrutava de um crescimento econômico consistente devido à explosão global das commodities. Em seguida, o PIB se recuperou de forma relativamente rápida e o país agora parece estar desfrutando de um período de crescimento estável e sustentado. Isso provocou uma melhoria na qualidade de vida. Vinte anos atrás, 50% da população vivia abaixo da linha de pobreza; agora, esse número foi reduzido pela metade. O investimento estrangeiro direto no país sem dúvida impulsionou o crescimento, mas também alterou o equilíbrio interno do poder. Os recursos naturais, base dos avanços tecnológicos da última década como a fabricação de carros elétricos, estão rapidamente se esgotando. Isso gerou uma corrida das corporações multinacionais, inflacionando os preços dos minerais e tornando Silvânia do Sul refém de seus interesses.

Felizmente, o Ministro de Finanças e Grandes Empresas anterior garantiu que o país começasse a diversificar seu portfólio de bens e serviços há alguns anos. Ele insistiu que o governo investisse em inovações tecnológicas e em educação e, agora, Silvânia do Sul é tanto líder no sistema de pagamentos móveis como um pólo regional para a inovação. Ela também foi beneficiada por sua localização, no centro de várias grandes redes de cabos, e pela implantação global de redes sem fio de alta velocidade.

Assim como outros países que possuíam baixos níveis de conectividade, a Silvânia do Sul ultrapassou muitas outras nações mais desenvolvidas em termos de Pesquisa e Tecnologia (R&T). A principal universidade de design online digital fica em sua capital e o Instituto Tecnológico de Silvânia do Sul está na vanguarda do desenvolvimento de nanotecidos, que tem o potencial de ser utilizado por muitos serviços médicos nos próximos anos.

O governo está atualmente sob grande pressão popular para restringir a coleta de dados e impor normas para a retenção e o armazenamento seguro de dados pessoais, após uma série de ataques com grande visibilidade. Entretanto, vários políticos que antes admiravam atividades hacktivistas, agora são membros do governo no cardo de Ministros da Liberdade de Informação. Mas, para aqueles membros da sociedade que estão satisfeitos em serem simples consumidores, a energia e a interrupção de dados são as maiores preocupações. Tal é a dependência dos cidadãos do conteúdo que circula pela rede que, com os apagões de dados, estes ameaçam entrar em erupção em casos de desordem pública.